quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Antevisões dos castigos vaticinados em La Salette e Fátima ‒ Beata Isabel Canori Mora 3

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Continuação do post anterior

O véu que envolve os castigos anunciados em 1846 e em 1917, de alguma maneira foi levantado para a Bem-aventurada Isabel. O que ela viu fornece-nos subsídios para entender melhor o que Nossa Senhora previu depois na montanha de La Salette e na Cova da Iria.

Com efeito, em 7-6-1815 Deus mostrou-lhe, mais uma vez, a punição que atraíam sobre a humanidade esses “lobos rapaces sob pele de ovelha, [...] acérrimos perseguidores de Jesus Crucificado e de Sua esposa a Santa Igreja”.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Cristianofobia: veja palestra

Re-enviamos este post com o link que faltava para ser visualizado em alguns importantes sistemas, confiando na benevolência dos leitores.

Assista no vídeo abaixo à conferência do professor Alexandre del Valle sobre o tema “Cristianofobia: Por que são mortos e perseguidos os cristãos de hoje?”.

O evento foi promovido pelo Instituto Plinio Corrêa de Oliveira no dia 4 de agosto p.p., no auditório do Mosteiro de São Bento em São Paulo.

Veja vídeo
Cristianofobia:
Por que são mortos e
perseguidos os cristãos hoje?

O Dr. Alexandre del Valle é professor de Relações Internacionais na Universidade de Metz, França, e consultor de Geopolítica em diversas importantes instituições europeias, e possui diversos livros publicados sobre a matéria.

domingo, 14 de agosto de 2011

Assunção de Nossa Senhora: prenúncio do Reino de Maria

Assunção, detalhe iluminura s. XV.
Columbia University, UTS MS 049

“A Imaculada Mãe de Deus, a sempre Virgem Maria, terminado o curso de sua vida terrestre, foi assunta em corpo e alma à glória celestial”

Com essas imorredouras palavras, o Santo Padre Pio XII definiu o dogma da Assunção da Santíssima Virgem ao Céu em corpo e alma, solenemente proclamado no dia 1º de novembro de 1950, pela Constituição dogmática “Munificentissimus Deus”.


quarta-feira, 10 de agosto de 2011

O RECONHECIMENTO OFICIAL DA IGREJA


O bispo de Grenoble, Mons. de Bruillard, abriu um inquérito canônico sob a responsabilidade de uma comissão de 16 sacerdotes experientes da diocese.

A comissão interrogou videntes e vizinhos, clérigos e civis, autoridades e simples particulares. Pesquisou aspectos que poderiam desmerecer o evento sobrenatural. (Na foto ao lado: Casa onde os videntes ditaram o primeiro relato em 20 de setembro de 1846)

Ouviu com atenção opiniões favoráveis e contrárias. Realizou sessões de debate, inclusive na presença do bispo. Por fim, todas as eventuais dúvidas, objeções ou discrepâncias das interpretações foram resolvidas.

domingo, 7 de agosto de 2011

Extensão da Cristofobia é surpreendente, mostra Prof. del Valle

Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil
e diretor do Movimento Paz no Campo;
Dr. Adolpho Lindenberg, presidente doInstituto Plinio Corrêa de Oliveira;
Dr. Alexandre del Valle, conferencista, professor da Univ. de Metz, França, e
Dr. Caio Vidigal Xavier da Silveira presidente da Federação pro Europa Cristã
Sob o tema “Cristofobia: Por que são mortos e perseguidos os cristãos de hoje?”, na noite de 4 de agosto último, o Instituto Plinio Corrêa de Oliveira promoveu mais uma importante palestra na capital paulista.

O auditório do Mosteiro de São Bento voltou a estar lotado, mas desta vez para ouvir um relato da perseguição que, aberta ou veladamente, o cristianismo tem sofrido nos dias atuais.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Ministério da Justiça trama repressão da aparição de La Salette


Em maio de 1847 o Ministério da Justiça elaborou um relatório ameaçadoramente contrário a La Salette. O documento era endereçado ao chefe da pasta, o ministro Hébert, hostil à Religião e a La Salette.

Esse relatório resumia informes de polícia que descreviam a difusão da devoção a La Salette pelo país todo.

Para propor uma perseguição, ele tomava como pretexto o anúncio de Nossa Senhora de que, se a França não se convertesse, viria fome e mortalidade de crianças.

“Tais passagens, diz o pérfido relatório, são de molde a produzir efetivamente, e já tem produzido, funestas impressões sobre as populações ignorantes. Elas poderiam, neste tempo de fome, até comprometer a tranqüilidade pública. Porém não se encontra no Código Penal, nem nas leis de imprensa, nem nas leis sobre os cereais, qualificação penal alguma que lhe seja imputável. Não há nem incitamento à desobediência das leis, nem tentativa de perturbação da paz pública excitando o menosprezo ou o ódio contra uma ou várias classes de pessoas, etc.”.