domingo, 22 de setembro de 2013

Analogias entre o segredo de La Salette e as profecias de Don Bosco

Panorama dos incêndios comunistas durante a Comuna de Paris, 1871
Panorama dos incêndios comunistas durante a Comuna de Paris, 1871
“Paris será queimada”: estas palavras do segredo, obviamente causaram muita impressão na França. Mélanie as confirmou repetidamente, como vimos em post anterior.

“Paris e o Papa! Paris e o Papa! Oh, infeliz Paris!” era uma exclamação frequente dela. Também em mais de uma ocasião advertiu a conhecidos de não irem à capital pois temia a proximidade do cumprimento da visão. Na versão oficial de 1851, Mélanie escreveu: “Paris, esta cidade suja de toda espécie de crimes, perecerá infalivelmente”.

Mélanie não foi a única a transmitir essa advertência divina à Cidade Luz. Também o fez São João Bosco.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

O olhar irreproduzível de Nossa Senhora de La Salette

Os olhos são o resumo da face e a quintessência de toda a expressão do corpo. Como é que se exprimiria a alma de Nossa Senhora na parte de seu corpo santíssimo que é a mais expressiva?

“Os olhos da Santíssima Virgem, nossa terna mãe, não podem ser descritos por uma língua humana.

“Para deles falar, seria preciso um serafim, seria preciso a própria linguagem de Deus, de Deus que formou a Virgem Imaculada, obra prima de seu poder.

Realmente, é o sublime. O próprio do sublime é não poder ser descrito por língua humana.

“Os olhos da augusta Maria pareciam mil e mil vezes mais belos do que os brilhantes, os diamantes e as pedras preciosas.

Mais uma vez ela compara não só as lágrimas de Nossa Senhora, mas também os olhos dEla com cristais, com pedrarias.

“Eram como a porta de Deus de onde se podia ver tudo aquilo que pode encantar a alma.

A expressão é magnífica. Porque na Ladainha se diz: Nossa Senhora Janua caeli, porta do Céu.

E, realmente, Nossa Senhora é a mais clara manifestação de Deus, mais do que qualquer anjo. E quem olhar, portanto, os olhos de Nossa Senhora, olha a mais alta manifestação de uma alma que é o espelho da justiça de Deus.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Como era Nossa Senhora de La Salette e como era seu pranto

Consideremos ponto por ponto a descrição de Mélanie de Nossa Senhora em La Salette:

“A Santíssima Virgem era alta e bem proporcionada”.

A altura é um apanágio da majestade. Tanto é que aos príncipes que não são reis, se diz Vossa Alteza.

É evidente que não é altura física. Mas a altura física é uma imagem física da altura nos outros sentidos.

Portanto, não era necessário, mas convinha a Nossa Senhora uma altura bem proporcionada.

Porque a altura bem proporcionada é o contrário da altura esmagadora. É o que torna a altura acessível é a perfeição de suas proporções.

É o encaixe de várias coisas pequenas nEla, com graça e harmonia, que tornam essa altura variegada. É uma unidade na variedade.

Então, essa perfeição das proporções dEla.

Depois, Mélanie continua:

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Meditação sobre Nossa Senhora de La Salette
como foi descrita pela vidente Mélanie


Dia 19 de setembro é a festa da aparição de Nossa Senhora de la Salette.

No livro de Pie Regamey, “Les plus beaux textes sur la Vierge” (Livre De Poche Chrétien, 1962), vem um depoimento feito por Mélanie Calvat que é a menina que viu Nossa Senhora.

Façamos a leitura e depois alguns comentários.
Aparência: A Santíssima Virgem era alta e bem proporcionada. Parecia tão leve que um sopro poderia atingi-La, Entretanto, Ela permanecia imóvel e inalterável.

“Sua fisionomia era majestosa, imponente, mas não imponente como são as grandes da terra. Ela impunha um temor respeitoso, ao mesmo tempo que Sua majestade impunha respeito entremeado de amor. Ela atraía.

“Ao seu redor, como em Sua pessoa, tudo inspirava majestade, esplendor, magnificência de uma rainha incomparável. Ela parecia bela, clara, imaculada, cristalina, celeste.

“Parecia-me também como uma boa mãe cheia de bondade, amabilidade, amor para conosco, compaixão e misericórdia”.

domingo, 15 de setembro de 2013

Na semana da festa de La Salette.
Reflexões aos pés de Nossa Senhora

Em La Salette, Nossa Senhora falou
como a mãe que quer que seus filhos criem juízo
Nesta semana nos preparamos para a festa de Nossa Senhora de La Salette. No dia 19 de setembro vai se comemorar o 167º aniversário da famosa aparição no topo de uma montanha não muito longe da aldeia de La Salette-Fallavaux.

A aparição de La Salette não resultou de um acaso e não é um fato isolado da História. Antes bem, ela se encaixa numa longa e importante série de manifestações de Nossa Senhora.

E essa série corresponde a um andamento geral dos acontecimentos humanos que foram nos trazendo para o caos em que se debate o mundo atual.

A festa é, portanto, uma ocasião propícia para meditarmos nessa série de grandes anúncios de Nossa Senhora.

Nossa Mãe Santíssima apareceu muitas vezes, em lugares e épocas diferentes.

Operou milagres, convidou à reforma dos costumes, advertiu contra perigos, semeando sempre seu amor maternal até na hora dos mais graves avisos.

Mas, na aparição à Santa Catarina Labouré na rue du Bac Nossa Senhora iniciou uma série concatenada de manifestações.