segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Os apóstolos dos últimos tempos
e a vitória sobre os males de hoje
anunciada em La Salette



continuação do post anterior: Chegou a hora de aparecerem os Apóstolos dos Últimos Tempos? – La Salette e São Luis Maria Grignion de Montfort

O mistério dos Apóstolos dos Últimos Tempos parece conter a solução dos problemas que afogam o mundo. Não é um mistério ruim, mas bom, pois vem carregado de promessas de salvação e consolação.

São Luis Maria Grignion de Montfort antevia profeticamente que esses novos apóstolos seriam o instrumento por excelência de Nossa Senhora para tirar a humanidade da entalada de confusão e pecado em que vai se enroscando cada vez mais.

Por isso, tais apóstolos terão como sinal uma ardente e inigualada devoção à Mãe de Deus, de Quem serão perfeitos escravos de amor.

Por isso o grande santo fala especialmente deles em seu Tratado quando fala de: “A devoção à Santíssima Virgem será especialmente necessária nesses últimos tempos” e do “Papel especial de Maria nos últimos tempos”.

A devoção à Santíssima Virgem será especialmente necessária nesses últimos tempos

“54. Deus não pôs somente inimizade, mas inimizades, e não somente entre Maria e o demônio, mas também entre a posteridade da Santíssima Virgem e a posteridade do demônio.

“Quer dizer, Deus estabeleceu inimizades, antipatias e ódios secretos entre os verdadeiros filhos e servos da Santíssima Virgem e os filhos e escravos do demônio.

“Não há entre eles a menor sombra de amor, nem correspondência íntima existe entre uns e outros.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Chegou a hora de aparecerem os Apóstolos dos Últimos Tempos?
La Salette e São Luis Maria Grignion de Montfort


Na parte final do Segredo de La Salette, após descrever as grandes linhas da História e da intervenção divina nela contra os poderes crescentes do mal e de seus chefes o Anticristo e Satanás, Nossa Senhora faz um premente apelo àqueles que denomina “Apóstolos dos Últimos Tempos”.

“Eu dirijo – disse Nossa Senhora – um premente apelo à Terra. Apelo aos verdadeiros discípulos do Deus vivo que reina nos Céus.

“Apelo aos verdadeiros imitadores de Jesus Cristo feito homem, o único e verdadeiro Salvador dos homens. Apelo aos meus filhos, meus verdadeiros devotos, aqueles que se deram a mim para que eu os conduza a meu divino Filho, aqueles que levo por assim dizer nos meus braços, que vivem de meu espírito.

“Enfim, apelo aos Apóstolos dos Últimos Tempos, aos fiéis discípulos de Jesus Cristo que viveram no desprezo do mundo e de si próprios, na pobreza e na humildade, no desprezo e no silêncio, na oração e na mortificação, na castidade e na união com Deus, no sofrimento e desconhecidos do mundo.

“É chegado o tempo para que eles saiam e venham iluminar a Terra. Ide e mostrai-vos como meus filhos amados.

“Estou convosco e em vós, contanto que vossa fé seja a luz que vos ilumina nestes dias de desgraças.

“Que vosso zelo vos faça como que famintos da glória e honra de Jesus Cristo. Combatei, filhos da luz, pequeno número que isto vedes, pois aí está o tempo dos tempos, o fim dos fins”.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

La Salette e Padre Pio:
lamentações e advertências do Céu para o mau clero

“Sim, os sacerdotes atraem a vingança e a vingança paira sobre suas cabeças.
Ai dos sacerdotes e das pessoas consagradas a Deus,
que pela sua infidelidade e má vida crucificam de novo meu Filho!”
Luis Dufaur


O Segredo de La Salette – hoje inteiramente tornado público – contém advertências para o clero relaxado no cumprimento de seus deveres.

Naquele remoto ano de 1846, falando do clero de má conduta da época e dos tempos vindouros, Nossa Senhora não poupou expressões severas.

Mas nem por isso suas palavras foram menos verdadeiras. Não poderia, aliás, ser de outro modo, uma vez que provindas da Mãe de Deus:

“Os sacerdotes, ministros de meu Filho, pela sua má vida, sua irreverência e impiedade na celebração dos santos mistérios, pelo amor do dinheiro, das honrarias e dos prazeres, tornaram-se cloacas de impureza.

“Sim, os sacerdotes atraem a vingança e a vingança paira sobre suas cabeças. Ai dos sacerdotes e das pessoas consagradas a Deus, que pela sua infidelidade e má vida crucificam de novo meu Filho!

“Os pecados das pessoas consagradas a Deus bradam ao Céu e clamam por vingança. E eis que a vingança está às suas portas, pois não se encontra mais uma pessoa a implorar misericórdia e perdão para o povo. Não há mais almas generosas, não há mais ninguém digno de oferecer a Vítima imaculada ao [Padre] Eterno em favor do mundo”.

domingo, 19 de outubro de 2014

São Francisco de Assis: ardis, cismas, perseguições,
e falso Papa vindouro

São Francisco, Verona
São Francisco, Verona
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Pouco antes da morte do Pai santo, ele convocou os seus Filhos e alertou-os sobre os problemas que haviam de vir, dizendo:

“Ajam com bravura, meus irmãos; ganhem coragem e confiem no Senhor.

“Em breve se aproxima o tempo no qual haverão grandes provas e aflições; perplexidades e discórdias, tanto espirituais como temporais, virão em abundância; a caridade de muitos esfriará, enquanto a malícia dos ímpios aumentará.

Os diabos terão um poder fora do usual; a imaculada pureza de nossa Ordem, e de outras, será tão obscurecida, que haverá bem poucos Cristãos que obedecerão ao verdadeiro Soberano Pontífice e à Igreja Romana com corações leais e caridade perfeita.

“Nos tempos dessa tribulação, um homem não canonicamente eleito será elevado ao Pontificado, que, com sua astúcia, empenhar-se-á em levar muitos ao erro e à morte.

“Então escândalos se multiplicarão, a nossa Ordem será dividida, e muitas outras serão totalmente destruídas, porque consentirão o erro em vez de o combater.

Extase de São Francisco, El Greco
Extase de São Francisco, El Greco
“Haverá uma tal diversidade de opiniões e cismas entre as pessoas, os religiosos e o clero, que, se aqueles dias não fossem abreviados, segundo as palavras do Evangelho, até os eleitos seriam levados ao erro, se não fossem guiados, no meio de tão grande confusão, pela imensa misericórdia de Deus.

“Então a nossa Regra e nosso modo de vida serão violentamente combatidos por alguns, e provas terríveis cairão sobre nós.

“Os que permanecerem fiéis receberão a coroa da vida; mas ai dos que, confiando somente em sua Ordem, caírem em mornidão, pois não serão capazes de suportar as tentações permitidas como teste para os eleitos.

“Os que perseverarem em seu fervor e mantiverem sua virtude com amor e zelo pela verdade sofrerão injúrias e perseguições como sendo rebeldes e cismáticos.

“Pois os seus perseguidores, instigados por espíritos malignos, dirão que prestam um grande serviço a Deus, eliminando aqueles homens pestilentos da face da Terra.

“Mas o Senhor será o refúgio dos aflitos, e salvará todos que nEle confiarem.

São Francisco, altar mor  Igreja da Ordem Terceira franciscana, São Paulo
São Francisco, altar mor
Igreja da Ordem Terceira franciscana, São Paulo.
“E a fim de serem como o seu Mestre, estes, os eleitos, agirão com confiança e com sua morte obterão para si próprios a vida eterna.

“Escolhendo obedecer a Deus e não aos homens, eles não temerão nada e preferirão perecer, do que aprovar a falsidade e a perfídia.

“Alguns pregadores manterão silêncio sobre a verdade, e outros a calcarão aos pés e a negarão.

A santidade de vida será desprezada até pelos que exteriormente a professam, pois naqueles dias Nosso Senhor Jesus Cristo lhes mandará não um verdadeiro pastor, mas um destruidor.”


O editor das “Works of the Seraphic Father St. Francis Of Assisi” que aqui citamos acrescenta a nota seguinte:
“Marcos de Lisboa e outros pensam que esta profecia teve realização no grande cisma que desolou a Igreja após a eleição de Urbano VI, no ano 1378.

“Mas também pode referir-se parcialmente a outras calamidades que se abateram sobre a Igreja nos últimos tempos”. (op. cit. p.250)
“Works of the Seraphic Father St. Francis Of Assisi”, Washbourne, Londres, 1882, pp. 248-250, com Imprimatur do bispo de Birmingham, D. William Bernard“Works of the Seraphic Father St. Francis Of Assisi”, Washbourne, Londres, 1882, pp. 248-250, com Imprimatur do bispo de Birmingham, D. William Bernard

(Fonte: “Works of the Seraphic Father St. Francis Of Assisi”, Washbourne, Londres, 1882, pp. 248-250, com Imprimatur do bispo de Birmingham, D. William Bernard).

Aos lados, reproduções do livro original em inglês. 
CLIQUE NELAS PARA AMPLIAR.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Guerra Espiritual nos EUA – Norte-americanos se manifestam contra a missa negra satânica



Ben Broussard 


“São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate…”

Por todo o país, a oração familiar ao Príncipe da Milícia Celeste estava nos lábios de milhões de católicos fiéis, implorando com confiança a ajuda do Arcanjo contra uma ameaça preternatural.

No dia 21 de setembro foi a primeira vez que uma missa negra satânica aconteceu em uma propriedade pública nos Estados Unidos.

O centro cívico da cidade de Oklahoma City, no centro do país, foi o local escolhido para o sacrilégio.

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Nossa Senhora desvendou um imenso cenário enquanto falava

La Salette: vista panorâmica desde o local da aparição
La Salette: vista panorâmica desde o local da aparição
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




As palavras de Nossa Senhora tinham um efeito saliente: produziam o que significavam.

As crianças viam com os olhos o que elas queriam dizer. Como se o imponente anfiteatro do local celeste tivesse se desvanecido, e em seu lugar houvesse um imenso telão onde os pastores viam acontecer o que Nossa Senhora dizia.

Aí contemplavam desde as menores coisas até o próprio Deus.

Mélanie explicou:

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Apóstolos dos Últimos Tempos, La Salette e
e o Tratado da Perfeita Devoção a Nossa Senhora,
de São Luis Maria Grignion de Montfort

O profeta Santo Elias, estátua no Monte Carmelo em Terra Santa.  Ele pelos seu zelo por Deus bem pode ser considerado um modelo  para os Apóstolos dos Últimos Tempos
O profeta Santo Elias, estátua no Monte Carmelo em Terra Santa.
Ele pelos seu zelo por Deus bem pode ser considerado um modelo
para os Apóstolos dos Últimos Tempos
Hoje a Igreja comemora do histórico dia de há 168 em que Nossa Senhora apareceu em La Salette. Ela fez nessa ocasião um apelo premente aos Apóstolos dos Últimos Tempos.

Até ditou a Mélanie a Regra que deveriam seguir esses Apóstolos dos Últimos Tempos.

Mas, quem são eles?, onde estão? quando vão se manifestar?

O que sabemos deles é por meio de intuições, inspirações e visões proféticas de diversos santos e doutores, entre os quais não podemos deixar de citar Santa Teresa de Jesus. Veja o que disse a grande santa carmelita sobre eles.

No contexto de La Salette, esses apóstolos, êmulos dos grandes e insuperáveis Apóstolos chamados por Nosso Senhor Jesus Cristo durante sua pregação, terão um papel fundamental na derrocada dos males que afligem a humanidade, a Cristandade e a Igreja.

Porém, ninguém falou sobre esses enviados futuros de Deus com tanta convicção, lógica e ardor quanto São Luís Maria Grignion de Montfort, o incansável pregador da Sagrada Escravidão de amor a Nossa Senhora.

Apóstolos dos Últimos Tempos e realização dos anúncios de Nossa Senhora em La Salette -- como também na rue du Bac e em Fátima -- parecem ser realidades intrinsecamente ligadas.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Nossa Senhora de La Salette e seu indescritível olhar durante a aparição


Mélanie descreveu assim o olhar de Nossa Senhora, como ela viu na aparição:

“Os olhos da Santíssima Virgem, nossa terna mãe, não podem ser descritos por língua humana.

“Seria preciso um serafim, seria preciso a linguagem do próprio Deus, desse Deus que criou a Virgem Imaculada, obra-prima de sua onipotência.

“Os olhos da augusta Maria pareciam mil vezes mais belos que os brilhantes, os diamantes, as pedras preciosas mais procuradas.

“Eles brilhavam como sóis. Eram doces, feitos da própria doçura, luminosos como um espelho. Em seus olhos via-se o Paraíso, eles atraíam a Ela.

“Ela parecia querer dar-se e atrair. Quanto mais eu a olhava, mais a queria ver. Quanto mais a via, mais a amava com todas minhas forças.

“Os olhos da bela Imaculada eram como a porta de Deus, de onde se via tudo que pode inebriar a alma. Quando meus olhos se encontravam com os da Mãe de Deus e minha, sentia dentro de mim uma feliz revolução de amor, uma promessa de amá-la e de me desfazer de amor.

“Quando nos olhávamos, nossos olhos conversavam à sua maneira. Eu a amava tanto, que teria querido osculá-la entre os olhos.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Como se apresentou Nossa Senhora em La Salette


Mélanie e Maximin se encontravam nesse momento num local mais alto, e foram descendo, de início intrigados e depois maravilhados. Maximin continua:

“Embora estivéssemos a uma distância de uns vinte metros, ouvimos uma voz doce, como se saísse de uma boca próxima de nossos ouvidos, que dizia:

– Avançai meus filhos, não tenhais medo. Estou aqui para vos anunciar uma grande notícia.

O temor respeitoso que nos tinha contido desvaneceu-se. Corremos até ela, como indo a uma boa e excelente mãe”.

Mélanie sempre foi mais meticulosa nas suas descrições. Deixou registrado com mais pormenores o que viu e ouviu. Ela conta:

“O vestido da Santíssima Virgem era branco prateado e todo brilhante. Não tinha nada de material, estava composto de luz e de glória variante e cintilante.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Como se deu a aparição de La Salette

Mélanie e Maximin, os dois videntes, desceram para ver uma grande luz, dentro da qual havia uma Dama
Mélanie e Maximin, os dois videntes, desceram para ver uma grande luz, dentro da qual havia uma Dama




Na manhã do 19 de setembro de 1846 Maximin acompanhou Mélanie para cuidar do gado. Era um dia bonito, o céu estava sem nuvens e o sol brilhava intensamente.

Subiram o morro de La Salette (França) até uma altura de 1.800 metros, sem poderem imaginar o evento sobrenatural que haveriam de testemunhar.

Maximin queria brincar. Ela lhe propôs seu entretenimento preferido: fazer o que ela chamava de paraíso, isto é, uma casinha de pedras toda recoberta de ramalhetes feitos com flores silvestres, que desabrocham naturalmente nas alturas.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Novidades assombrosas chegam do Carmelo de Coimbra.
Texto inédito da Irmã Lúcia.

O livro "Um caminho sob o olhar de Maria" editado pelo Carmelo de Coimbra.
O livro "Um caminho sob o olhar de Maria" editado pelo Carmelo de Coimbra.
Um documento inédito da Irmã Lúcia que se insere no conjunto profético de Fátima foi publicado pelo Carmelo de Coimbra.

Esse documento revela coisas novas e pasmosas sobre o desfecho da crise do mundo que abandonou a Fé e a Civilização Cristã.

A origem desse documento é a seguinte. O Carmelo de Coimbra, onde viveu seus últimos anos e morreu (em 2005) a Irmã Lúcia, publicou um livro oficial com o título Um caminho sob o olhar de Maria.

Trata-se de uma biografia da vidente de Fátima, redigida por suas irmãs do Carmelo. Ela inclui documentos inéditos escritos pela própria religiosa.

Eis os dados bibliográficos do livro: Um caminho sob o olhar de Maria — Biografia da IRMÃ Maria LÚCIA de Jesus e do Coração Imaculado, Carmelo de Santa Teresa, Edições Carmelo, Coimbra, 2013, 496 pp.

A Terceira Guerra Mundial

Hoje se fala muito que vivemos no conturbado período histórico lugubremente inaugurado pela I Guerra Mundial. A II Guerra foi um deplorável desdobramento da Primeira, segundo a afirmação geral dos historiadores mais reputados.

Francisco I e muitas outras conhecidas vozes vêm dizendo que o mundo está entrando na III Guerra Mundial. O Pontífice se referiu a ela na sua viagem de retorno de Seul, Coréia do Sul.

Ele apenas fez a ressalva de que era fragmentada, por não se ter ainda universalizado. Mas constatou que a Guerra está crescendo por “capítulos” e que se destaca por sua “crueldade”.

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Tentativa de “missa negra satânica” em Harvard.
Estudantes reparam ofensa ao Corpo de Cristo





No Segredo de La Salette, Nossa Senhora previu que o Diabo seria cultuado em locais especiais para ele.

O culto por excelência do demônio é a "missa negra". Este abominável culto quando acontece é em locais que fogem ao olhar das pessoas e das autoridades.

Porém, em 12 de maio, tal vez pela primeira vez na história, foi anunciada uma "missa negra satânica" num local oficial, por sinal numa das maiores instituições educativas do mundo: a Universidade de Harvard, nos EUA.

A sacrílega encenação foi sustada por uma admirável reação dos alunos católicos.

O culto público do demônio que podia parecer um exagero que desdoura o Segredo de La Salette, apareceu subitamente como uma realidade que por pouco não se efeitvou.

Mas, novas tentativas poderão advir. Veja a seguir o que aconteceu em Harvard.

terça-feira, 13 de maio de 2014

13 de maio: Fátima, a crise mundial e a solução






“Não há sobre a Terra uma só nação que não esteja a braços, em quase todos os campos, com crises gravíssimas.

“Se analisarmos a vida interna de cada país, notaremos nele um estado de agitação, de desordem, de desbragamento de apetites e ambições, de subversão de valores que, se já não é a anarquia franca, em todo o caso caminha para lá.

“Nenhum estadista de nossos dias soube ainda apresentar o remédio que corte o passo a esse processo mórbido, de envergadura universal.

“Mas, para a gravidade desta crise universal, a mensagem de Nossa Senhora de Fátima abre os olhos dos homens, apresentando-lhes uma explicação à luz dos planos da Providência Divina, e também indicando-lhes os meios necessários para evitar a catástrofe.

“É a própria história de nossa época, e mais do que isto o seu futuro, que nos é ensinado por Nossa Senhora.

“A época contemporânea tem um privilégio: em Fátima, Nossa Senhora veio falar aos homens.

“Ela, a um tempo, explica os motivos da crise e indica o seu remédio, profetizando a catástrofe caso os homens não a ouçam.

“De todo ponto de vista — pela natureza do conteúdo como pela dignidade de quem as fez — as revelações de Fátima sobrepujam, pois, tudo quanto a Providência tem manifestado aos homens na iminência das grandes borrascas da História.”



(Fonte: Plinio Corrêa de Oliveira, “Catolicismo”, maio/1953)

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Santa Teresinha, La Salette, o espírito de cruzada e a santidade





A família toda de Santa Teresinha, incluindo a Santa, inscreveu-se numa piedosa associação reparadora pelos pecados da humanidade denunciados por Nossa Senhora em La Salette.

A grande carmelita de Lisieux desejava passar o Céu fazendo o bem na Terra, mas não tinha uma alma débil, desprovida de personalidade e força de caráter, que fugia do sofrimento e da luta.

Se assim o fosse, não teria sido elevada às honras dos altares, nem teria sido apresentada ao mundo católico como “uma nova Joana d'Arc” pelo Papa Pio XI (a 18 de maio de 1925).

É muito oportuno e mesmo necessário, pois, considerarmos este aspecto de sua alma, frequentemente esquecido ou falseado em imagens e santinhos, onde ela aparece com a fisionomia impregnada por um adocicamento sentimental e romântico, totalmente inexistente em sua forte e marcante personalidade.

Vejamos algumas de suas afirmações que refletem o espírito de cruzado que animava a Santa da chuva de rosas:

“Na minha infância sonhei lutar nos campos de batalha.

“Quando comecei a aprender a História da França, o relato dos feitos de Joana d'Arc me encantava; sentia em meu coração o desejo e a coragem de imitá-los” (1).

“Adormeci por alguns instantes -- contava ela à Madre Inês -- durante a oração. Sonhei que faltavam soldados para uma guerra contra os prussianos.

“Vós dissestes: É preciso mandar a Irmã Teresa do Menino Jesus. Respondi que estava de acordo, mas que preferia ir para uma guerra santa. Afinal, parti assim mesmo.

“Oh! não, eu não temeria ir à guerra. Com que alegria, por exemplo, no tempo das cruzadas, teria partido para combater os hereges. Sim! Eu não temeria levar um tiro, não temeria o fogo!” (2)

"Lançando-me na arena
“Não temerei ferro nem fôgo ....
“Sorrindo enfrento a metralha ....
“Cantando morrerei, no campo de batalha
“As armas à mão”, bradava ela (3).

“Quando penso que morro numa cama! Como desejaria morrer numa arena!” (4)

A santidade! É preciso conquistá-la à ponta da espada. .... É preciso combater!” (5)
____________________
Notas:
1) Lettres de Sainte Thérèse de l'Enfant-Jésus, Carta ao Abbé Bellière, Office Central de Lisieux, 1948.
2) Carnet Jaune, 4.8.6 -- in Derniers entretiens, Éditions du Centenaire, Desclée de Brouwer-Éditions du Cerf, Paris, 1971.
3) Mes Armes -- Poésies, Édition du Centénaire, Cerf-Desclée de Brouwer, Paris, 1992 (Carnet jaune, Mère Agnès de Jésus, 4 de agosto).
4) Summarium [do Processo de Beatificação e Canonização], depoimento de Celina, 2753.
5) Correspondance Générale, Éditions du Cerf-Desclée de Brouwer, Paris, 1972, t. I (1877-1890), Carta (­­nº 89) a Celina, de 26 de abril de 1889. E Lettres de Sainte Thérèse de l'Enfant Jésus, Carta a Leônia, de 20 de maio de 1894.

Video: Urna contendo as relíquias de Santa Teresinha, Lisieux
Se seu email não visualiza corretamente o vídeo embaixo CLIQUE AQUI



segunda-feira, 7 de abril de 2014

Carta inédita de São João Bosco a Francisco José,
imperador da Áustria-Hungria





No Segredo de La Salette Nossa Senhora considera que o futuro da Igreja e o futuro da ordem temporal estão intimamente ligados.

Na carta a seguir de São João Bosco ao imperador da Áustria-Hungria - naquele tempo o maior chefe de Estado da Europa - encontramos a mesma percepção dessa interrelação.

São João Bosco prenuncia que tempos tempestuosos se avizinham para a Igreja e para as nações.

Essses días difíceis adviriam como castigo pelo abandono da prática da Lei de Deus.

O santo, então, comunica da parte de Deus ao imperador católico toda uma estrategia de ação política internacional, visando o bem da Igreja e da Cristandade.

Convida-o até a ser o braço armado de Deus Ele próprio: a "vara de Seu poder" e o "benfeitor da humanidade".

Infelizmente, o imperador Francisco José não ouviu a voz do Santo dotado de luzes proféticas e não executou o plano político de Deus.

segunda-feira, 24 de março de 2014

O sonho do cavalo vermelho (1862):
símbolo da ‘democracia sectária’ ou do comunismo?

Os quatro cavalos do Apocalipse.
Livro composto por Beatus de Facundus
para os reis Ferdinando I e Sancha de Castela
Don Bosco teve vários sonhos proféticos. Temos citado no nosso blog alguns deles. Um dos mais conhecidos é o do "cavalo vermelho" de que fala o Apocalipse capítulo VI, versículo IV.

Don Bosco viu em sonho esse cavalo simbólico avançar sobre o mundo contemporâneo.

O que simbolizava esse cavalo? Na abalizada edição das "Memorie Biografiche" (volume 7, capítulo 22) vemos que os companheiros do Santo o interpretaram como um símbolo da "democracia sectária" que hostilizava a obra salesiana.

Nada de mais normal, a "democracia sectária" que se espraiava pela Itália no século XIX era filha da Revolução Francesa.

Aliás, poderia se falar que hoje também sobrevive essa mesma "democracia sectária" que tem os mesmos objetivos e métodos anticristãos.

Porém, alguns interpretaram - e com fundamento - que o "cavalo vermelho" é símbolo do comunismo que já produzia seus péssimos efeitos no tempo de Don Bosco.

Na perspectiva da mensagem de La Salette, as duas interpretações têm procedência, pois o comunismo é o filho criminoso da Revolução Francesa. E o "cavalo vermelho" do Apocalipse pode significar os dois, ou um ou outro, pois os dois promoveram perseguições sangrentas contra a Igreja.

A discussão não está encerrada. Apresentamos a nossos leitores, o texto completo de dito sonho segundo a abalizada edição das Memorie Biografiche, para que cada um possa formar sua opinião.

segunda-feira, 10 de março de 2014

Concordância de La Salette com a comunicação mística ao Beato Padre Eustáquio – 2

Jesus Cristo ao Beato Padre Eustáquio:  “Ó astúcia diabólica, que inclinou o povo mais para o lado do mau espírito do que para o lado do próprio Deus!”.
Jesus Cristo ao Beato Padre Eustáquio:
“Ó astúcia diabólica, que inclinou o povo
mais para o lado do mau espírito do que para o lado do próprio Deus!”.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






continuação do post anterior: Concordância de La Salette com a comunicação mística ao Beato Padre Eustáquio – 1


Ó astúcia diabólica, que chegou a tal ponto que soube inclinar o ouvido do povo mais para o lado do mau espírito do que para o lado do próprio Deus!

“Vê como as guerras rebentam em toda parte, como cresce cada vez mais o ódio entre os povos, vê como aumenta a falsidade nos corações, diminuindo, a olhos vistos, a fé nas almas, e os estragos espirituais que em todas as classes do povo aumentam de dia para dia.

“E os médiuns que tomam o lugar dos santos, falam, escutam e enganam o próximo.

“E aí se vai a fé, se vai a religião, se vai a amizade com Cristo.

“E chegam as multidões a tomar confiança com quem não é de Cristo, e a perversidade torna-se o hábito natural destas pessoas.

“E aproveitando-se das misérias humanas, lançam-se sobre as criaturas doentes que, no desespero de suas moléstias e na falsa esperança de um pequeno alívio, entregam-se de corpo e alma ao cruel demônio que não somente lhes compromete a saúde do corpo, mas o que é pior, a salvação de suas almas.

“Ó mal, ó mal extremo que se arraigou nas almas de tantas e tantas pessoas!

Queda dos anjos rebeldes, detalhe. Pieter Bruegel o Velho (1525-1569). Royal Museums of Fine Arts, Bruxelas
Queda dos anjos rebeldes, detalhe.
Pieter Bruegel o Velho (1525-1569).
Royal Museum of Fine Arts, Bruxelas
“Chegou a hora em que as guerras hão de se abrir contra tantas pragas, contra os maus espíritos que andam pelo mundo para perder as almas...

“Vá, meu filho, com franqueza e liberdade em combate a este grande mal. Sê o Moisés de hoje; que livres teu povo dessa péssima escravidão!

“Revoltar-se-ão contra ti, pois o dedo será posto na ferida.

“Mas, as curas que em meu nome operares, destruirão os fenômenos diabólicos com que obcecaram o meu bom povo.

“Ao teu lado andará o meu pai nutrício, cuja proteção escolhi sobre nossa casa de Nazaré e sobre a minha Igreja, que se fundou sobre a pedra sólida e inamovível da verdade e da santidade.

“Invoca a S. José com toda a confiança,  invocá-lo, junto com sua Santa Esposa, Maria SS., e o mal se extinguirá e a fé se tornará de novo florescente e crescente nas almas, nos lares, nas sociedades do mundo inteiro.”

Subscrito: São José, rogai por nós. – Saúde e Paz a todos – saúde ao vosso corpo, mas antes de tudo, paz a vossas almas.

Os meios que Nosso Senhor, de modo especial, me inspirou são: o ministério sacerdotal, a oração, a pregação e a visita aos doentes e a todos que sofrem.

E peço, humildemente, a todos os meus superiores eclesiásticos, religiosos e civis, para me auxiliares na minha santa missão, para que a graça de Deus venha para tantos que sofrem e tantos que se perdem.

O humilde servo em Cristo:

Pe. Eustáquio van Lieshout, SS.CC.”

(Fonte: livro “Padre Eustáquio van Lieshout SS.CC.”, de autoria do Pe. Venâncio Hulselmans SS.CC., apud Helio Viana “Padre Eustáquio” in CATOLICISMO)


segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Concordância de La Salette com a comunicação mística ao Beato Padre Eustáquio – 1

Beato Padre Eustáquio van Lieshou SS.CC.: “Eu vejo a minha religião ameaçada, caluniada e perseguida mais do que nunca.
Jesus Cristo disse ao Beato Padre Eustáquio van Lieshout SS.CC.:
“Eu vejo a minha religião ameaçada, caluniada e perseguida
mais do que nunca”.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






Quando Nossa Senhora revelou seu Segredo em La Salette (veja texto completo) fez afirmações muito graves sobre o estado moral, espiritual, social e político do mundo, convidando a uma profunda conversão.

Algumas das afirmações de Nossa Senhora, porém, foram mal recebidas por aqueles que se sentiram concernidos.

Um dos casos foi protagonizado pelos setores da sociedade e do clero que tinham aderido às falsas máximas e aos costumes decadentes do mundo.

Dos mesmos arraiais que tinham aderido às ideias igualitárias da Revolução Francesa e aos costumes sensuais que se difundiam pela sociedade temporal, brotou implacável guerra contra o Segredo.

Alegavam eles ser impossível que Nossa Senhora tivesse predito horizontes tão carregados de ameaças, guerras, heresias, decomposição social e ação dos demônios.

Aduziam também que o mundo andava sempre melhor e que um diálogo sincero – mas cheio de concessões ao erro e ao pecado – acabaria trazendo a reconciliação da Igreja com o mundo.

Nossa Senhora tinha bem denunciado que se o mundo recusava a necessária conversão atrairia sobre si tremendas desgraças que a Providencia permitiria como derradeiro meio para salvar as almas que quisessem se submeter à vontade de Deus.

Panoramas análogos foram anunciados por santos religiosos e sacerdotes como São João Bosco, ou Papas como o Beato Pio IX e São Pio X.

Um exemplo mais próximo de nós é o do Beato Padre Eustáquio van Lieshout SS.CC., bem conhecido de muitos brasileiros.

Nascido na Holanda em 3 de novembro de 1890 chegou ao Brasil como missionário em 1925. Ele faleceu em Belo Horizonte a 30 de agosto de 1943.

Sua fama de santidade e os múltiplos milagres que lhe são atribuídos facilitaram sua elevação aos altares.

Ele foi beatificado em 15 de junho de 2006.

O Beato Padre Eustáquio, missionário no Brasil
O Beato Padre Eustáquio, missionário no Brasil
O Beato Padre Eustáquio não teve uma relação especial com La Salette, feita a exceção de estudos que não conhecemos ou que não foram ainda dados a conhecer.

Por isso, é especialmente benfazejo ouvir o anúncio dos castigos purificadores que ele fez como corretivo providencial da decadência do mundo.

Ele fez esse anúncio em consequência de uma inspiração mística que lhe apontou sua missão face a um mundo, sempre mais sensual, igualitário e entregue às potencias infernais e de seus sequazes humanos, leigos e clérigos.

Reproduzimos a continuação, carta do bem-aventurado missionário de 25 de Julho de 1941.

Nela, ele descreve uma comunicação sobrenatural por ele recebida a respeito do progresso de Satanás e de seus seguidores, e do abandono da Igreja por parte de indignos membros dEla, inclusive altos responsáveis.

As analogias com o Segredo de La Salette são tantas e saltam de tal maneira aos olhos que dispensam comentários.

O leitor saberá faze-las, com facilidade e em abundância.

Eis a carta do Beato Padre Eustáquio:

V.C.J.S.                                                                                                   V.C.M.I

Dia do Apóstolo-Mártir São Tiago

25 de Julho de 1941

Mensagem

Jesus, na minha solidão, se fez ouvir mais do que nunca e são estas as palavras que me foram confiadas pela boca do Senhor:

“Eu vejo a minha religião ameaçada, caluniada e perseguida mais do que nunca.

“Não sai mais, como no tempo medieval, a voz do erro de uma só boca, está saindo de milhares de bocas; de bocas que não sabem o que dizem, não sabem o que falam; apenas empurradas por uma força que eles não conhecem, nem procuram conhecer, gritam contra Mim, blasfemam contra Mim; uns fogem da minha companhia, outros como ramos secos ficam se agarrando ao tronco antigo que é a religião Católica, Apostólica, Romana.

“E o falso poder que invade os corações, invade as almas, invade os lares, aumenta-se cada vez mais, penetra cada vez mais na intimidade da vida, até no templo em que habito.

O poder infernal que se desencadeia nestes tempos, não em violências, nem em martírios sangrentos, tal como nos tempos antigos, mas com as palavras de Deus e de Santos nos lábios, vem se dar o beijo venenoso a todos quantos se apresentam na sua frente.

“Grita-se ‘Deus’, escreve-se ‘Deus’ e nada há de Deus no coração, senão peste e veneno que, sob a falsa máscara de fé e de religião, querem espalhar-se sobre a multidão cuja fé, embora fraca, não está totalmente apagada.

“É um horror como se revoltam contra Mim. E ainda falam como se fossem inspirados pelo Espírito Santo, enquanto sua inspiração não passa de uma sugestão do mau espírito que é o demônio em própria pessoa.

“E sob este fingimento de santidade invadem muitas almas, muitos corações e muitos lares.

“E depois de o mau espírito haver tomado posse destes corações, vê-se logo o estrago e o veneno que por aí derramaram.”

continua no próximo post: Concordância de La Salette com a comunicação mística ao Beato Padre Eustáquio – 2


segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Santa Teresa de Jesus e os Apóstolos dos Últimos Tempos

Santa Teresa de Jesus, em 1615
Peter Paul Rubens (1577-1640) Kunsthistorisches Museum, Viena
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






Em La Salette, Nossa Senhora confiou à vidente Melania uma Regra para os Apóstolos dos Últimos Tempos, — Ordem ou Instituto que Nossa Senhora Ela própria suscitaria e animaria nos momentos de calamidade que Ela anunciava.

Dificilmente algum santo falou com tanta força, propriedade e pormenor sobre estes Apóstolos dos Últimos Tempos quanto São Luis Maria Grignion de Montfort.

CLIQUE AQUI PARA VER O QUE ESCREVEU SÃO LUIS MARIA.

Mais sobre os Apóstolos dos Últimos Tempos e La Salette

São Luís Maria não foi o único santo ou alma privilegiada com luzes proféticas que falou desses Apóstolos futuros. No “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem”, ele mesmo cita outros santos que o precederam nessa visão profética.

A grande Santa Teresa de Jesus OCD (1515 — 1582), ou Santa Teresa de Ávila, Doutora da Igreja, também foi agraciada com visões sobrenaturais sobre essa Ordem vindoura.

Acresce que a Santa fornece alguns elementos que não estão presentes nas demais visões ou reflexões proféticas.

Santa Teresa escreveu o que ela viu a respeito no “Livro da Vida”, (Capítulo 40, nº 12, págs. 186-187).

“12. Estando certa vez em oração com muito recolhimento e suavidade e quietude, pareceu-me estar rodeada de anjos e muito perto de Deus. Comecei a suplicar à Sua Majestade pela Igreja. Foi-me então dado a entender o grande proveito que produziria uma ordem nos derradeiros tempos e a fortaleza com que os seus membros haveriam de sustentar a fé”.

“13. Estava certa vez rezando perto do Santíssimo Sacramento, quando apareceu diante de mim um santo cuja Ordem esteve algo decaída. Tinha nas mãos um livro grande; abriu-o e me disse que lesse umas letras que eram grandes e muito legíveis, e diziam assim: “Nos tempos vindouros florescerá esta Ordem; haverá muitos mártires”.

Queda dos anjos rebeldes Pieter Bruegel o velho (1525-1569) Royal Museums of Fine Arts, Bruxelas, detalhe.
Queda dos anjos rebeldes
Pieter Bruegel o velho (1525-1569)
Royal Museums of Fine Arts, Bruxelas, detalhe.
“14. Numa outra vez, estando nas Matinas no coro, se apresentaram e se puseram diante de mim seis ou sete, me parece que seriam dessa mesma Ordem, com espadas nas mãos.

“Acredito que isso dava a entender que vão defender a fé; porque outra vez, estando em oração, meu espírito foi arrebatado e me pareceu estar num grande campo onde combatiam muitos, e estes dessa Ordem pelejavam com grande fervor.

“Tinham os rostos formosos e muitos acessos, e deitavam muitos por terra derrotados, e a outros matavam. Me parecia que esta batalha era contra os hereges.”

“15. A este glorioso santo eu vi algumas vezes e me falou algumas coisas, e ele me agradeceu a oração que faço pela sua Ordem e me prometeu de me recomendar ante o Senhor.

“Não digo as Ordens. Se o Senhor for servido se sabendo, Ele as fará conhecer, para que as outras não sofram agravio. Porém, cada Ordem deveria procurar, e cada membro delas por si próprios, para que o Senhor torna-se tão ditosa sua Ordem para a em tão grande necessidade como a que agora padece a Igreja, lhe serviam desse modo. Ditosas as vidas que nisto se extinguirem!”

A prestigiosa editora espanhola que citamos como fonte bibliográfica traz uma densa nota sobre a originalidade destas visões.

De fato, Santa Teresa insiste em que os Apóstolos dos Últimos Tempos pertencerão, ou terão uma relação especial com uma instituição religiosa que existia ou que segue existindo, embora tenha passado por uma decadência.

Obviamente, algumas ordens religiosas acharam que a visão se referia a elas, notadamente os dominicanos e os jesuítas que, naquela época, passavam por um grande momento.

A BAC, porém cita ao historiador Pe. Jerónimo de San José (Historia del Carmen Descalzo, l. 1, c. 21, n. 5, p. 214-215) segundo o qual as visões não podem se aplicar nem aos jesuítas nem aos dominicanos.

De fato, essas ínclitas instituições não tinham passado pela decadência – pelo menos até aquele momento – referido pela Santa.

Para o mencionado historiador, as visões só podiam se referir à Ordem do Carmo. Essa sim havia passado por provações e decadências que a deixaram ao borde da extinção.

Queda dos anjos rebeldes Pieter Bruegel o velho (1525-1569) Royal Museums of Fine Arts, Bruxelas, detalhe.
Queda dos anjos rebeldes
Pieter Bruegel o velho (1525-1569)
Royal Museums of Fine Arts, Bruxelas, detalhe.
Mas há um outro dado histórico referido pelo Pe. Jerónimo de San José: “estas conjecturas bastam para ter como certo o que dissemos; porém um testemunho e uma palavra ainda mais certa da verdade, tiramos da mesma Santa, que ainda em vida declarou que se tratava da Ordem do Carmo reformada.

“E isto ela disse com tanta segurança e afirmatividade, que a um religioso filho seu que lhe perguntou, chamado frei Angel de San Gabriel, ela respondeu com simplicidade e amor de mãe: “Bobo, de quem haveria de se entender senão da nossa Ordem?”

“Este testemunho correu sempre na Ordem como coisa aceita sem controvérsia, confirmada pelas pessoas que o ouviram da boca da Santa, como testemunha o muito venerável bispo de Tarazona D. Fr. Diego de Yepes” (III 17).

É de se notar que quando Santa Teresa escreveu estas visões, ainda nem tinha pensado da reforma da rama masculina dos carmelitas, se tratando pois de um anúncio profético. (Cf Tomás de la Cruz, Pleito sobre visiones, Epehmerides Carmelit. 8 (1957), p. 3-43. (apud Libro de la Vida, p.215).

Nesta perspectiva, os Apóstolos dos Últimos Tempos se inseririam na gloriosa linhagem espiritual do Carmo.

Seriam eles sacerdotes dessa Ordem? O fato de portarem armas e matarem inimigos em combate não condiz com a interdição eclesiástica ao uso e porte de armas.

Mas poderia ser algo assim como uma Ordem Terceira. Por certo, é um problema que merece serena observação, reflexão e meditação.

(Fonte: Santa Teresa de Jesús O.C.D., “Libro de la Vida” apud Obras Completas, BAC nº 212, Madrid, 1979, 6ª Ed. revisada, 1184 páginas).