segunda-feira, 24 de março de 2014

O sonho do cavalo vermelho (1862):
símbolo da ‘democracia sectária’ ou do comunismo?

Os quatro cavalos do Apocalipse.
Livro composto por Beatus de Facundus
para os reis Ferdinando I e Sancha de Castela
Don Bosco teve vários sonhos proféticos. Temos citado no nosso blog alguns deles. Um dos mais conhecidos é o do "cavalo vermelho" de que fala o Apocalipse capítulo VI, versículo IV.

Don Bosco viu em sonho esse cavalo simbólico avançar sobre o mundo contemporâneo.

O que simbolizava esse cavalo? Na abalizada edição das "Memorie Biografiche" (volume 7, capítulo 22) vemos que os companheiros do Santo o interpretaram como um símbolo da "democracia sectária" que hostilizava a obra salesiana.

Nada de mais normal, a "democracia sectária" que se espraiava pela Itália no século XIX era filha da Revolução Francesa.

Aliás, poderia se falar que hoje também sobrevive essa mesma "democracia sectária" que tem os mesmos objetivos e métodos anticristãos.

Porém, alguns interpretaram - e com fundamento - que o "cavalo vermelho" é símbolo do comunismo que já produzia seus péssimos efeitos no tempo de Don Bosco.

Na perspectiva da mensagem de La Salette, as duas interpretações têm procedência, pois o comunismo é o filho criminoso da Revolução Francesa. E o "cavalo vermelho" do Apocalipse pode significar os dois, ou um ou outro, pois os dois promoveram perseguições sangrentas contra a Igreja.

A discussão não está encerrada. Apresentamos a nossos leitores, o texto completo de dito sonho segundo a abalizada edição das Memorie Biografiche, para que cada um possa formar sua opinião.

segunda-feira, 10 de março de 2014

Concordância de La Salette com a comunicação mística ao Beato Padre Eustáquio – 2

Jesus Cristo ao Beato Padre Eustáquio:  “Ó astúcia diabólica, que inclinou o povo mais para o lado do mau espírito do que para o lado do próprio Deus!”.
Jesus Cristo ao Beato Padre Eustáquio:
“Ó astúcia diabólica, que inclinou o povo
mais para o lado do mau espírito do que para o lado do próprio Deus!”.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






continuação do post anterior: Concordância de La Salette com a comunicação mística ao Beato Padre Eustáquio – 1


Ó astúcia diabólica, que chegou a tal ponto que soube inclinar o ouvido do povo mais para o lado do mau espírito do que para o lado do próprio Deus!

“Vê como as guerras rebentam em toda parte, como cresce cada vez mais o ódio entre os povos, vê como aumenta a falsidade nos corações, diminuindo, a olhos vistos, a fé nas almas, e os estragos espirituais que em todas as classes do povo aumentam de dia para dia.

“E os médiuns que tomam o lugar dos santos, falam, escutam e enganam o próximo.

“E aí se vai a fé, se vai a religião, se vai a amizade com Cristo.

“E chegam as multidões a tomar confiança com quem não é de Cristo, e a perversidade torna-se o hábito natural destas pessoas.

“E aproveitando-se das misérias humanas, lançam-se sobre as criaturas doentes que, no desespero de suas moléstias e na falsa esperança de um pequeno alívio, entregam-se de corpo e alma ao cruel demônio que não somente lhes compromete a saúde do corpo, mas o que é pior, a salvação de suas almas.

“Ó mal, ó mal extremo que se arraigou nas almas de tantas e tantas pessoas!

Queda dos anjos rebeldes, detalhe. Pieter Bruegel o Velho (1525-1569). Royal Museums of Fine Arts, Bruxelas
Queda dos anjos rebeldes, detalhe.
Pieter Bruegel o Velho (1525-1569).
Royal Museum of Fine Arts, Bruxelas
“Chegou a hora em que as guerras hão de se abrir contra tantas pragas, contra os maus espíritos que andam pelo mundo para perder as almas...

“Vá, meu filho, com franqueza e liberdade em combate a este grande mal. Sê o Moisés de hoje; que livres teu povo dessa péssima escravidão!

“Revoltar-se-ão contra ti, pois o dedo será posto na ferida.

“Mas, as curas que em meu nome operares, destruirão os fenômenos diabólicos com que obcecaram o meu bom povo.

“Ao teu lado andará o meu pai nutrício, cuja proteção escolhi sobre nossa casa de Nazaré e sobre a minha Igreja, que se fundou sobre a pedra sólida e inamovível da verdade e da santidade.

“Invoca a S. José com toda a confiança,  invocá-lo, junto com sua Santa Esposa, Maria SS., e o mal se extinguirá e a fé se tornará de novo florescente e crescente nas almas, nos lares, nas sociedades do mundo inteiro.”

Subscrito: São José, rogai por nós. – Saúde e Paz a todos – saúde ao vosso corpo, mas antes de tudo, paz a vossas almas.

Os meios que Nosso Senhor, de modo especial, me inspirou são: o ministério sacerdotal, a oração, a pregação e a visita aos doentes e a todos que sofrem.

E peço, humildemente, a todos os meus superiores eclesiásticos, religiosos e civis, para me auxiliares na minha santa missão, para que a graça de Deus venha para tantos que sofrem e tantos que se perdem.

O humilde servo em Cristo:

Pe. Eustáquio van Lieshout, SS.CC.”

(Fonte: livro “Padre Eustáquio van Lieshout SS.CC.”, de autoria do Pe. Venâncio Hulselmans SS.CC., apud Helio Viana “Padre Eustáquio” in CATOLICISMO)